quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Lucidez






"É lucidez, desatino,

De ler no próprio destino

sem poder mudar-lhe a sorte..."


Armando Vieira Pinto

3 comentários:

  1. ¬¬' eu quero, eu posso, eu consigo kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Um dia em algum momento

    colocamos os pés no

    roda moinho de uma vida

    E então ele nos puxa violentamente

    e de lá não podemos mais sair

    Passam se os anos

    como os giros do roda do moinho

    Os sonhos vão caindo fora como a água

    Os desejos vão sendo sufocados

    A esperança vai morrendo afogada

    Vamos rodando,

    rodando e ficando ocos

    Sem mais nenhum sentimento

    Até que de repente ela para,

    e somos jogados fora

    Caídos no chão, na terra nos vemos

    Entendemos então que ali

    só restou a carcaça

    O resto foi ficando pelo caminho.

    ResponderExcluir